LENÇÓIS MARANHENSES + BARREIRINHAS

Viagem realizada em junho/2015


Os Lençóis Maranhenses é um dos destinos turísticos mais fascinantes do Brasil. Acho que a maioria das pessoas já ouviu falar nesse "deserto com água" que fica lá no Maranhão. São quilômetros e quilômetros de dunas de areia branquinha, cheias de lagoas formadas pela água da chuva. É um paraíso, literalmente! Durante nossas férias no Maranhão, dedicamos quatro dias para conhecer os Lençóis. Se você está programando uma viagem para lá, é importante saber que a melhor época para pegar as lagoas cheias é entre os meses de maio e agosto. Fomos em junho e as lagoas não estavam secas (ufa! rs).

A cidade que tem a melhor infraestrutura para receber os turistas é Barreirinhas, conhecida como a "porta de entrada" para os Lençóis. Ela fica a 350 quilômetros de distância de São Luís. Para chegar até lá há duas opções: ônibus (da viação Cisne Branco) ou van (contratada nas agências receptivas), ambas partindo da capital maranhense. Acho desnecessário ir de carro, pois ele será inútil nos passeios e ficará parado na garagem todos os dias. A entrada no Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses só é permitida com guias credenciados e apenas veículos 4x4 conseguem encarar as trilhas que vão até lá. Nós pegamos o ônibus das 19h30 na rodoviária de São Luis e chegamos em Barreirinhas por volta da meia-noite.

Ficamos hospedadas na pousada Cama, café e aventura. Na verdade essa pousada é a casa de uma família, onde eles alugam alguns quartos para os turistas. Fomos muito bem tratadas pelos donos e pela simpática cachorrinha Mel! Porém, não tivemos muita privacidade, os quartos eram bem simples (sem televisão e sem ar condicionado) e o banheiro compartilhado. O café da manhã era bem básico também, mas acho que foi coerente com o preço que pagamos pela diária. A localização não é das melhores. Tivemos que caminhar por uns vinte minutos para chegar até o centrinho.

Entrada da Pousada Cama, café e aventura
Mel, a anfitriã canina da pousada

No nosso primeiro dia, acordamos cedinho e fomos conhecer o centrinho de Barreirinhas. Que cidadezinha gostosa! Ela é banhada pelo Rio Preguiças, que é uma maravilha de lugar! A parte mais turística fica na Avenida Beira-Mar, onde estão muitos restaurantes e bares. Também há um pier todo de madeira, onde é possível apreciar a vista do rio, da praia e das dunas! Sim, Barreirinhas tem uma praia de rio. E dunas! É muito lindo! Passamos a manhã toda tomando sol e curtindo a água refrescante do rio.

Pier beirando o Rio Preguiças
Praia e dunas
A praia do Rio Preguiças é uma delícia de lugar

Assim como toda cidade de interior, Barreirinhas também tem uma igrejinha super fofa chamada Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, que fica na Praça da Matriz. Ela foi construída no século XVIII e é uma das igrejas mais antigas do Maranhão. Durante nossa caminhada pela cidade pudemos perceber que Barreirinhas é completamente voltada para o turismo. Há inúmeras agências oferecendo passeios pela região. Antes de viajarmos, pesquisamos algumas e lemos várias opiniões positivas sobre a São Paulo Ecoturismo. Acabamos fechando os passeios com eles e adoramos a experiência! Os guias foram muito atenciosos e pontuais. Não tivemos nenhum problema e super recomendamos! Os quatro passeios que fechamos foram esses: Lagoa Bonita, Rio Preguiças (Vassouras, Mandacarú e Caburé), Atins e Lagoa Azul, um para cada dia da viagem.

Paróquia de Nossa Senhora da Conceição

Às duas da tarde, nosso guia nos buscou na pousada para nosso primeiro passeio: o circuito Lagoa Bonita. Para pegar a trilha que leva até o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, tivemos que cruzar o Rio Preguiças em uma balsa. A travessia é super rápida e chegamos na outra margem em menos de quinze minutos. O guia nos contou que durante a alta temporada essa travessia pode demorar mais de uma hora, devido a quantidade excessiva de carros. Pegamos uma trilha de dezessete quilômetros e essa parte do passeio foi de muita aventura! O carro pulava muuuito! Depois de uma hora, mais ou menos, chegamos no pé de uma duna enooorme, com mais de trinta metros de altura! A subida é super íngreme e tem até uma corda para quem precisar de ajuda. Haja fôlego!

Travessia de balsa pelo Rio Preguiças
Chegando na outra margem do rio
Trilha para chegar ao Parque Nacional
Subida íngreme

Todo o esforço da subida é recompensado com a vista f-a-n-t-á-s-t-i-c-a do topo da duna. É lindo e não há palavras, nem fotos, que descrevam a beleza dos Lençóis Maranhenses. É um infinito de dunas e lagoas! Passamos o resto da tarde caminhando pela areia e nos divertindo nas diversas lagoas. Fomos em várias, mas não me lembro o nome de nenhuma... rs É muita lagoa pra guardar nome! Todas tinham a água limpinha, super transparente. Uma delícia!

Finalzinho da subida
É um infinito de dunas e lagoas
Uma parte do nosso grupo caminhando pelas dunas
Uma das lagoas

Um dos momentos mais inesquecíveis do dia foi o finalzinho da tarde, quando o sol começou a ser pôr. Voltamos para a duna principal e ficamos lá esperando o entardecer. Eu AMO ver o sol se pondo! Acho lindo vê-lo descendo e alterando as cores de toda a paisagem. É algo que me emociona, que me faz sentir privilegiada por estar viva e presenciando aquele momento. Parece piegas, mas é exatamente isso que sinto e certamente esse foi um dos momentos mais especiais da viagem! 

Pôr do sol dos Lençóis Maranhenses: um dos mais inesquecíveis
Turistas reunidos no alto da duna

Voltamos para Barreirinhas e chegamos na pousada por volta das sete da noite. No dia seguinte, após o café da manhã, o guia nos buscou de lancha voadeira no pier da pousada (olha que chique!). Nosso passeio do dia seria pelo Rio Preguiças, parando em três povoados. Foi muito gostoso navegar pelo rio. Ele é muito bonito! Após uns quarenta minutos, chegamos em Vassouras, nossa primeira parada. Fomos recepcionadas por diversos macaquinhos super simpáticos e famintos! Depois de fotografarmos os bichinhos, fomos conhecer os Pequenos Lençóis. E dá-lhe mais dunas e deliciosas lagoas! Ficamos lá por uma hora, mais ou menos. 

Navegando pelo Rio Preguiças
Paisagens às margens do Rio Preguiças
Macaco-prego nos recepcionando no povoado de Vassouras
Os Pequenos Lençóis e o Rio Preguiça ao fundo
Mais lagoas e dunas

Navegamos mais um pouquinho e fizemos nossa segunda parada no povoado de Mandacaru. Gostei bastante desse lugar! Tem muitas lojinhas de artesanato com preços ótimos! Também tomamos sorvete artesanal de cupuaçu e visitamos Farol Preguiças. Esse farol é muuuito alto e para subir até o mirante que existe no topo (a quase 40 metros de altura) é preciso encarar uma escada com 160 degraus! Mas o esforço vale a pena, eu garanto! A vista lá de cima é linda e panorâmica. São 360 graus de rio, mar, dunas e mata. O farol foi inaugurado em 1940 e pertence à Marinha do Brasil. A entrada é gratuita.

Chegando em Mandacaru
Farol Preguiças (à esquerda) e um pedacinho da vista do mirante (à direita)

A última parada do dia foi em Caburé. Ficamos um pouco mais de tempo nesse vilarejo, pois foi nossa parada para almoço. Nos acomodamos no restaurante Cabana do Peixe, mas apenas petiscamos algumas porções, pois achamos os valores das refeições muito altos. Caburé fica em uma estreita península de areia que separa o rio do mar. Dá para escolher onde se banhar! A paisagem é super rústica, uma verdadeira imensidão de areia e mar que parece não ter fim. Saímos de lá por volta das três horas e voltamos para Barreirinhas.

De um lado é rio
Do outro lado é mar
Paisagens rústicas

No terceiro dia conhecemos mais um vilarejo de Barreirinhas: a deliciosa Atins. Ela fica localizada na extremidade leste dos Lençóis Maranhenses, onde as águas do Rio Preguiças encontram-se com o mar. Para chegar até lá é necessário cruzar o rio de balsa e depois pegar uma trilha de 27 quilômetros. Demorou bastante para chegar, mas o passeio valeu super a pena: a vila é muito gostosa! As ruas são todas de areia e me lembrou um pouco Jericoacoara, no Ceará. A Praia de Atins é linda e estava quase deserta! Tomamos apenas uma água de coco em um dos quiosques e fomos conhecer mais algumas lagoas. Passamos quase uma hora caminhando nas dunas, tomando sol e nos divertindo nas lagoas.

Praia quase deserta em Atins
Paisagem super bucólica
Um paraíso
De boa na lagoa, rs

Almoçamos no recomendado Restaurante da Luzia, que fica perto das dunas, em uma região conhecida como Canto do Atins. Os famosos camarões grelhados servidos nesse restaurante são deliciosos e merecem a fama que tem! Depois do almoço, deitamos em uma das redes e descansamos bastante até o guia nos chamar para irmos embora.

Chegando no restaurante da Luzia
Os famosos camarões

Na manhã do nosso último dia, fomos fazer o circuito Lagoa Azul. Tivemos que cruzar o rio novamente e pegar uma trilha de doze quilômetros. Porém, a trilha para chegar até lá foi um pouco mais radical do que a dos outros dias. Como havia chovido muito na noite anterior, o caminho estava com várias poças d'água. Era tanta água que parecia que estávamos cruzando lagoas. Chegou até a entrar no carro e molhar nossos pés! Foi super divertido! Quando chegamos no Parque Nacional, fomos conhecer mais lagoas. Achei as desse circuito bem mais bonitas do que as que vimos nos dias anteriores. A tonalidade da água era muito mais viva. Voltamos para Barreirinhas por volta das duas horas e ficamos na pousada descansando até o finalzinho da tarde. Pegamos o ônibus das 18h45 para São Luis e depois o vôo para São Paulo. E assim acabou nossa deliciosa viagem aos Lençóis Maranhenses! :(

Cruzamos diversas poças d'água
Uma das lagoas do circuito Lagoa Azul
Duna, altíssima, e mais lagoa

Essa viagem foi muuuito legal! Amei a imensidão de mar, rio, dunas e lagoas dos Lençóis Maranhenses. Realmente é um lugar lindo e me sinto privilegiada por morar em um país com tantas belezas naturais. Achei que quatro dias foram suficientes para conhecer um pouquinho da região. Apesar de ter adorado fazer os passeios, achei todos muito parecidos. Tudo sempre acaba em duna e lagoa. É meio estranho falar isso, mas tive a impressão de que se ficasse mais dias por lá ia acabar enjoando... rs


GOSTOU DOS LENÇÓIS MARANHENSES?
Visite São Luis, a capital do estado!

NOSSA AVALIAÇÃO:




Todos os textos e fotos contidos nesse blog são minha autoria e não podem ser reproduzidos sem autorização.