SÃO LUIS: Os azulejos portugueses mais fofos estão aqui

Viagem realizada em junho/2015


Conhecer São Luis não estava nos nossos planos iniciais de viagem. A ideia era ir para os Lençóis Maranhenses, e só. Mas essa minha ânsia de conhecer novos lugares não me permitiu passar pela capital maranhense sem ao menos ver os casarões coloniais do centro histórico, cheios de azulejinhos coloridos. Pesquisa vai, pesquisa vem, a nossa “passadinha” em São Luis transformou-se em uma estadia de três dias. Afinal, descobrimos que São Luis não tem apenas o centro histórico como atrativo, mas também há praias e outras cidades próximas que merecem um clássico passeio bate-e-volta (como Alcântara, por exemplo). 

Na hora de escolhermos onde dormir, ficamos muito na dúvida se nos hospedávamos na região da praia ou do centro histórico. Depois de muita pesquisa (muita mesmo!) acabamos optando pela região central. Li muito sobre a falta de segurança e outros problemas do centro histórico, mas ainda assim decidimos arriscar (ficar curtindo praia não era nosso objetivo principal em São Luis). E deu certo! Claro que rolou insegurança e medo em alguns momentos, mas nada que tenha atrapalhado a viagem. Ficávamos sempre muito atentas a tudo e também tomávamos o máximo de cuidado com nossos pertences (principalmente com os celulares e câmera).

A escolha pelo Hotel Pousada Colonial foi super assertiva. Adoramos o lugar! Começando pela arquitetura do prédio. A pousada fica dentro de um sobrado colonial, todo revestido com azulejos coloridos (já me ganhou de primeira, rs)! O atendimento também foi ótimo! Todos nos trataram com muita educação e gentileza, sempre com um sorriso no rosto. O café da manhã era simples, mas uma delícia, e os quartos eram confortáveis.

Sobrado histórico do Hotel Pousada Colonial (à esquerda) e interior do hotel (à direita)

Caminhando pelas ruas do centro histórico e observando seus mais de três mil casarões coloniais, não há dúvidas que São Luis tem muuuita história pra contar! A cidade foi fundada em 1612 pelos franceses e, alguns anos depois, os holandeses a invadiram. Posteriormente apareceram os portugueses na jogada, que colonizaram a cidade e ficaram por lá até o Brasil se tornar um país independente. Todo o lindíssimo conjunto arquitetônico (que é tombado como patrimônio histórico e cultural) é dessa época em que Portugal estava no poder.

É uma pena que apenas uma pequena parte desses casarões esteja em boas condições. A maioria deles está, literalmente, caindo aos pedaços. É muito triste ver um passado de tanta história e cultura se perdendo desse jeito... Mas apesar desse abandono, gostei de conhecê-lo. Os casarões possuem uma arquitetura linda e os azulejinhos portugueses são muito fofos! Ah, e sabe porque a maioria dos casarões possuem esse tipo de revestimento? Como o clima lá em São Luis é muuuito quente, os azulejos ajudam a refletir a luz do sol, fazendo com que as paredes não esquentem muito e deixando o ambiente mais fresquinho. Interessante, não é? Me apaixonei por vários desses azulejinhos e não conseguia parar de fotografá-los!

Rua do centro histórico
Os fofíssimos azulejos portugueses 
Muitos casarões históricos estão caindo aos pedaços

As ruas mais conservadas e movimentadas são as que ficam em torno da Casa das Tulhas (também conhecida como Mercado Praia Grande). Essa construção de 1820 abriga diversas lojinhas de artesanatos, doces e bebidas regionais. Tem muita coisa legal! Difícil é escolher o que comprar, rs. O Guaraná Jesus, uma das bebidas mais famosas do Maranhão, é comercializado por lá também. Eu nunca tinha experimentado e gostei bastante. Achei o gosto parecido com o de tubaína. Confesso que não visitei nenhum atrativo cultural... Acabei me perdendo com tantas ruas, escadarias, largos e vielas. Também senti falta de uma plaquinha com a identificação desses museus e centros culturais. Nem com a ajuda de um mapa consegui encontrá-los... rs

Casa das Tulhas, mais conhecida como Mercado Praia Grande
O famoso Guaraná Jesus
Rua Portugal

Outra parte do centro histórico que está em boas condições é a região da Avenida Pedro II. É lá onde fica o grandioso Palácio dos Leões. Quando foi construído pelos franceses, em 1612, funcionava como um forte para proteger a cidade, mas após alguns séculos transformou-se em palácio e hoje sedia o Governo do Estado. A construção é muito bonita e tem estilo neoclássico. Na entrada há duas estátuas de leões em bronze. Na lateral do palácio há uma vista muito bonita para a Praia Grande. Seguindo pela rua, avistamos outra construção histórica: o Fórum e, quase na frente dele, a Prefeitura. No final da avenida fica a Catedral da Sé, outra construção centenária e tombada como patrimônio histórico. Essa igreja é muito bonita por dentro e por fora.

Palácio dos Leões
Fórum
Catedral da Sé

No entorno do Largo do Carmo também há algumas construções históricas bem bonitas. A Igreja Nossa Senhora do Carmo é uma delas. Amei o revestimento do chão! A construção é do ano de 1627 e predomina o estilo barroco. No prédio lateral funciona um convento. Pertinho desse largo fica o Teatro Arthur de Azevedo, que é o segundo teatro mais antigo do Brasil! Inaugurado em 1817, sua construção foi algo muito grandioso para a época. Hoje em dia o teatro exibe diversos espetáculos e apresentações e é aberto para visitas guiadas. Infelizmente estava fechado no dia em que estávamos por lá, mas fiquei com muita vontade de conhecer a parte interna e saber um pouquinho mais de sua história.

Igreja do Carmo
Amei o revestimento da Igreja do Carmo
Teatro Arthur Azevedo

Além do centro histórico, São Luis também tem cinco praias como atrativos turísticos: Ponta d'Areia, São Marcos, Calhau, Caolho e Olho d'Água. Conhecemos apenas a Ponta d'Areia e a do Calhau. A Praia da Ponta d'Areia tem uma ótima infraestrutura e estava bastante movimentada. Adorei o espigão e a enorme ciclovia. É um lugar muito gostoso para passear no final da tarde e tomar uma água de coco. Já a Praia do Calhau tem muitos coqueiros e quiosques espalhados pela orla e estava super vazia. Praticamente só nossa! Porém passamos apenas uma manhã por lá porque, sinceramente, não foi um lugar que me agradou tanto... A água, em ambas as praias, não tem uma cor bonita e vi muitas plaquinhas dizendo que os locais estavam impróprios para banho. Para quem está acostumado com as belezas naturais das praias do nordeste, essas de São Luis deixaram muito a desejar.

Praia do Calhau
Quiosques e coqueiros na beira da Praia do Calhau

Conheci pouca coisa em São Luis, mas o que mais gostei mesmo foi do centro histórico. Apesar de boa parte dos casarões estar caindo aos pedaços, ainda assim consegui enxergar beleza por lá. Me apaixonei pelos coloridos azulejinhos, pelos detalhes das janelas, pela arquitetura colonial... Não há como negar a importância histórica e cultural da cidade. Torço para que um dia todo o centro seja restaurado e revitalizado. As praias realmente não me agradaram tanto, mas li que existem outras cidades praianas ao redor que merecem a visita. Raposa e São José de Ribamar são duas delas. Infelizmente não deu tempo de conhecê-las. Quem sabe em uma próxima visita!


GOSTOU DE SÃO LUIS?
Combine a viagem com Lençóis Maranhenses e Alcântara!

NOSSA AVALIAÇÃO:




Todos os textos e fotos contidos nesse blog são minha autoria e não podem ser reproduzidos sem autorização.