APARECIDA: Muita fé, devoção e peregrinação no Vale do Paraíba

Viagem realizada em novembro/2016


É quase improvável que algum paulista católico não tenha visitado ao menos uma vez na vida a famosa cidade de Aparecida, localizada na região do Vale do Paraíba, a 170 quilômetros da capital. É aí onde está localizado o maior centro de peregrinação da América Latina! Afinal, quem nunca ouviu falar do Santuário de Nossa Senhora Aparecida, a padroeira do Brasil? Acho que ninguém, né? Toda essa religiosidade envolvida em torno da cidade vem do ano de 1717, quando alguns pescadores encontraram uma imagem de Nossa Senhora Aparecida no Rio Paraíba do Sul. Esse fato (e os milagres atribuídos à imagem da santa), levou a construção da primeira capela, em 1745. Com o passar dos anos, a cidade e o número de fiéis/visitantes foram aumentando tanto que, Aparecida "do Norte" (como é mais conhecida por aqui), se tornou um dos destinos de turismo religioso mais visitados do Brasil.

Confesso que ainda não conhecida essa cidade, mas sempre tive muuuita vontade de ir para lá, mesmo não sendo religiosa e nem devota de algum santo. Fui visitá-la em um feriado e em menos de três horas já estava desembarcando em Aparecida (daqui de São Paulo saem ônibus de trinta em trinta minutos). Quem for visitar a cidade a pé pode ficar tranquilo, pois é muito fácil se locomover e encontrar os principais pontos turísticos. A Basílica Nova de Nossa Senhora Aparecida fica bem pertinho da rodoviária. Se for final de semana você ainda poderá percorrer o trajeto até lá passando por dentro da tradicional Feira de Aparecida, uma feirinha de bugigangas que vende de tudo um pouco (além de lembrancinhas).

A Basílica foi o primeiro lugar que visitei na cidade e me surpreendi muito quando a vi pessoalmente. Tudo lá é enorme! A começar pelo estacionamento (que comporta mais de seis mil veículos e quatro mil ônibus), pela quantidade de pessoas (chega a receber mais de duzentos mil visitantes em alguns feriados), pelo tamanho da Basílica (tem 1,3 milhão de metros quadrados)... Tudo é muito, mas muuuito grandioso! Não é a toa que é considerada a segunda maior Basílica do mundo! Ela foi construída em 1955 e tem estilo neoclássico. Fiquei apaixonada por sua arquitetura e não me cansava de admirar cada detalhe da construção (simplesmente amei os tijolinhos aparentes).

Chegando no estacionamento
Um pedacinho da gigante Basílica Nova
Interior da Basílica Nova

Além das diversas missas que acontecem durante o dia, lá dentro da Basílica também há outras capelas e salas que podem ser visitadas, como a Capela das Velas, a Sala das Promessas (onde estão expostos diversos objetos e fotos) e a Torre Brasília (que abriga o Museu Nossa Senhora Aparecida e um mirante, a entrada não é gratuita). Certamente o local mais concorrido é a Visita à Imagem da santa (aquela que foi encontrada pelos pescadores).

Do lado de fora da Basílica há mais atrativos. Um dos que mais gostei foram os Bondinhos Aéreos (não são gratuitos). Eles partem da Estação Santuário (ao lado da Capela do Batismo) e fazem um percurso de mais de cem metros até chegar ao topo do Morro do Cruzeiro, que é outro atrativo bastante visitado na cidade. Esse morro fica a quase setecentos metros de altitude e tem uma vista linda! Dá para ver toda a cidade lá do alto e as montanhas que tem pela região!

Vista do bondinho
Desembarcando no Morro do Cruzeiro
Um pedacinho da vista do mirante

Além desse mirante, o Morro do Cruzeiro também oferece aos visitantes uma lanchonete, a loja oficial do Santuário (tem muitas lembrancinhas lindas e super bem feitas) e a Torre Mirante (quem tem uma cruz no topo). Esse outro mirante é para quem quer ver Aparecida um pouquinho mais do alto. Ele sobe mais trinta metros de altura (em elevadores panorâmicos) e proporciona uma visão 360 graus. Sinceramente, achei a vista dos dois mirantes bem parecidas. Então, se você quiser economizar, pode ficar apenas com a vista do primeiro mirante (que tem acesso gratuito).

Torre do Mirante
Interior do mirante
Olha a Rodovia Presidente Dutra lá embaixo e o Mirante da Santa à esquerda

Eu cheguei no Morro do Cruzeiro pelos bondinhos, mas se você quiser pode ir caminhando pela Via-Sacra. A Via-Sacra é um caminho para subir até o topo do morro. Os devotos percorrem-o orando, meditando e peregrinando. Durante esse trajeto há catorze painéis de cimento do artista Claudio Pastro. Cada escultura simboliza uma passagem da Via-Sacra (a última caminhada de Jesus Cristo, desde sua condenação até seu sepultamento). Outro lugar que gostei muito de conhecer foi a Passarela da Fé. Essa passarela tem quase quatrocentos metros de extensão e liga a Basílica Nova à Basílica Velha (construída em 1745, em estilo barroco). O que mais me chamou a atenção foi a fé e a devoção de algumas pessoas durante o trajeto. Vi muita gente pagando promessas e percorrendo esse percurso de joelhos. Isso me emocionou muito...

O caminho da Via-Sacra visto do alto
Passarela da Fé
Basílica Velha
Cerâmica fofinha no interior da igreja

Esses foram os pontos turísticos que visitei em Aparecida, mas o "complexo" do Santuário tem muuuito mais a oferecer! O Centro de Apoio ao Romeiro tem quase quatrocentas lojas de lembrancinhas e uma praça de alimentação enorme (tem até Mc Donald's)! Também há um Museu de Cera, um Aquário, um Presépio (com esculturas em tamanhos reais), o Porto Itaguassu (onde pode-se fazer passeios de barco pelo rio onde foi encontrada a imagem da santa), o Mirante da Santa... É tanta coisa pra fazer que um dia só foi pouco. Gostei muuuito de Aparecida e recomendo uma visita a todas as pessoas, independente da religião que sigam! Só esteja preparado (e paciente) para encontrar muitas pessoas e muitas filas, mas isso já é tradição em Aparecida! :)


NOSSA AVALIAÇÃO:


Todos os textos e fotos contidos nesse blog são minha autoria e não podem ser reproduzidos sem autorização.