CANINDÉ DE SÃO FRANCISCO: Meu encontro com o Velho Chico

Viagem realizada em agosto/2017


Quando comecei a planejar minha viagem à Sergipe o primeiro lugar que coloquei no meu roteiro foi o Cânion do Xingó. Esse cânion é lindo e super famoso! Já apareceu até em filmes e novelas globais! Ele fica em Canindé de São Francisco, uma cidadezinha localizada a 215 quilômetros de distância de Aracaju, em uma região conhecida como Rota do Sertão.

Meu objetivo inicial era me hospedar aí nessa cidade (ou em Piranhas, que fica do outro lado do rio), mas depois de pesquisar bastante percebi que seria difícil me locomover a pé (e sozinha) pelos pontos turísticos, já que são distantes uns dos outros (e eu não queria gastar horrores com táxi ou transfer). Acabei mudando os planos e fiquei hospedada apenas em Aracaju. Lá contratei a agência CrystalTur e fiz aquele passeio bate-volta ao cânion (que quase ninguém recomenda).

A van da agência passou no hotel por volta das sete horas da manhã e só chegamos em Canindé de São Francisco quase quatro horas depois. O Restaurante Karrancas foi o nosso ponto de apoio e é de lá que saem os catamarãs que fazem o passeio pelo cânion. O restaurante tem uma infraestrutura muito legal e é super bonitinho. A vista para o Rio São Francisco é linda demais! Há mesinhas, espreguiçadeiras, um jardim super bem cuidado e verdinho e até uma mini prainha para aproveitar a água refrescante do rio. Simplesmente adorei!

Delícia de prainha
A água é transparente!
Restaurante Karrancas

O catamarã saiu por volta das onze horas e estava lotadaço! E olha que não era final de semana e nem alta temporada. O passeio é bem típico para turistas: tem música alta, guia fazendo piadas pelo microfone, muita falação e bagunça. Sinceramente não é o meu tipo de rolê preferido, mas foi o jeito que encontrei para conhecer a região. Depois de uns trinta minutos navegando, o barco começa a se aproximar dos paredões de arenito e esse é um dos momentos mais emocionantes do passeio (até a trilha sonora do barco muda)! Os paredões ficam mais altos, o rio vai afunilando e a vegetação ganha cada vez mais aquela carinha típica do sertão nordestino.

O catamarã
Navegando
Vegetação típica do sertão sergipano
Formações rochosas (à esquerda) e Gruta de São Francisco de Assis (à direita)

A parada para banho é feita no Porto do Brogodó, uma espécie de pier flutuante onde há banquinhos, mesas e um cercadinho dentro do rio onde os turistas podem se banhar. Essa parada dura aproximadamente uma hora e a piscina fica lotada! É daí também que saem outros barquinhos menores que percorrem mais um trechinho do cânion, chamado de Gruta do Talhado. Esse passeio é pago à parte e passa super perto dos paredões. As paisagens são muito lindas!!! E a cor da água, então? Super verde! Apesar de rapidinho, adorei fazer esse passeio e acho que foi um dos pontos altos do dia.

O catamarã
O cercadinho onde os banhistas podem ficar
Olha a cor dessa água!
Paisagens durante o passeio de canoa
As formações rochosas são muito lindas

O passeio pelo cânion demorou umas três horas e voltei faminta para o restaurante. Depois de almoçar, aproveitei os últimos minutinhos por ali para descansar em uma das espreguiçadeiras de frente para o rio. Foi uma delícia! Acho que eram umas quatro da tarde quando começamos a voltar para Aracaju, mas antes paramos em mais alguns lugares em Canindé de São Francisco.

Usina Hidrelétrica de Xingó super me surpreendeu! Ela é enorme e a água jorra pelas comportas com muuuita força! Depois fomos para a Prainha. Apesar desse local ser lindo, foi um pouco triste conhecê-lo, pois aí morreu aquele ator global em 2016... :( Pegamos a estrada no finalzinho da tarde e um pôr do sol lindíssimo nos acompanhou em um trecho do percurso, deixando o passeio ainda mais especial (do início ao fim). Acho que cheguei no hotel umas sete ou oito horas da noite.

Tchau, Rio São Francisco!
Usina Hidrelétrica do Xingó
Prainha
Lampião e Maria Bonita (à esquerda) e pôr do sol na estrada (à direita)

O que posso dizer sobre esse dia? Foi corrido? Foi! Foi cansativo? Nem se fala! Mas acho que valeu super a pena enfrentar as quase oito horas de estrada, e faria tudo de novo. Amei conhecer esse pedacinho do Rio São Francisco e do Sertão Sergipano. Parece que esse lugar tem uma energia diferente. É difícil explicar. Nenhuma foto ou texto vai descrever a beleza e a emoção que senti ali. Queria muito ter ficado mais tempo, mas infelizmente dessa vez não rolou. Acho que esse dia corrido e cansativo só me deixou com mais vontade de voltar!


GOSTOU DE CANINDÉ DE SÃO FRANCISCO?
Conheça Aracaju, a capital sergipana.

MINHA AVALIAÇÃO:




Todos os textos e fotos contidos nesse blog são minha autoria e não podem ser reproduzidos sem autorização.