BRASÍLIA: A capital do meu país

Última viagem realizada em agosto/2017


Sempre tive muita vontade de conhecer Brasília! Sei lá de onde surgiu esse desejo. Talvez tenha sido de tanto ouvir falar dos absurdos políticos que acontecem por ali. É cada palhaçada que acho que nem Jesus na causa resolve! rs Brincadeiras à parte, acho que nossa capital não merece ser lembrada apenas por essas coisas ruins. Ela tem muuuito mais a oferecer do que confusões e polêmicas envolvendo nossos governantes. E as duas vezes em que estive por lá me confirmaram isso.

Brasília foi toda planejada pelo urbanista Lúcio Costa e pelo famosíssimo arquiteto Oscar Niemeyer para ser a nova capital do Brasil. Ela foi inaugurada em 1960, durante o mandato do presidente Juscelino Kubitschek e é considerada uma das grandes obras do século XX. Suas formas são tão impressionantes que já foi considerada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, em 1987. Seu formato de avião (que já tive o privilégio de ver lá do céu) sempre me surpreendeu e acho que esse foi um dos motivos que me fez ter vontade de conhecê-la.

Minha primeira vez em Brasília foi durante um feriado de Carnaval. Minha chegada foi um pouco tumultuada. Assim que desci do avião (ainda no aeroporto), fui muito bem recepcionada na Central de Atendimento ao Turista (que me deu todas as dicas para ir até o Plano Piloto usando transporte público), mas quando cheguei na rua do hotel, não me senti mais tão confortável assim... Era domingo e a cidade estava completamente deserta (e por conta do mal tempo, tudo meio cinzento)! Fiquei com um medo danado e isso me assustou muuuito inicialmente. Quando cheguei na recepção do hotel, a situação não melhorou... O recepcionista (querendo vender passeios turísticos e ganhar comissão por isso), ficou dizendo que não era seguro andar sozinha pela cidade, que tudo estava muito vazio, que eu ia ser assaltada e blá, blá, blá... Fiquei muito, mas muito chateada e fui para o quarto bem incomodada. Mas aí não deu nem meia hora e esse susto inicial passou, pois a vontade de explorar uma nova cidade era muuuito maior, rs!

O local em que me hospedei foi o Riviera Hotel (eles não tem site, mas podem ser encontrados pelo Booking.com). A localização é ótima! Ele fica no setor hoteleiro da Asa Sul, lá perto do Eixo Monumental e da Via W3 Sul. Dá para ir andando a vários pontos turísticos, além de ter muitas opções de transporte público e o Shopping Pátio Brasil quase ao lado. Não gostei muito do atendimento (por conta daquele recepcionista que quis me botar medo) e nem da estrutura (é um hotel bem antigo e no primeiro dia me colocaram em um quarto com goteira bem em cima da cama). Não achei que o preço compensou e não me hospedaria lá novamente.

Riviera Hotel

Bom, como comentei fiquei bem perdida no primeiro dia... A estrutura das ruas de Brasília é bem diferente do que estava acostumada a ver em outras cidades brasileiras. As primeiras horas foram um pouco difíceis e não conseguia chegar aonde queria de ônibus. Acabei desistindo de pegar ônibus e fiz tudo a pé. Foi a melhor decisão que tomei! Sai lá da Torre da TV (que estava fechada devido ao mal tempo) e fui caminhando por todo Eixo Monumental, parando nos locais que eu queria conhecer.

Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida foi o primeiro local que visitei. Essa igreja é uma das inúmeras obras do Oscar Niemeyer que estão espalhadas pela cidade. Ela foi inaugurada em 1970 e é um dos cartões postais de Brasília. Parece clichê dizer isso, mas ela é linda por dentro e por fora! E de longe já chamou minha atenção. Sua arquitetura é tão, mas tão linda! Fiquei encantada com a altura do pé direito (são quarenta metros!), com os vitrais coloridos de Marianne Peretti, com os três arcanjos (Miguel, Gabriel e Rafael) suspensos por um cabo de força e com a acústica m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a! Essa igreja é muito, mas muuuito linda mesmo e eu não conseguia parar de admirá-la! Ao seu lado fica o Museu Nacional (que também tem uma arquitetura muito bonita e abriga exposições itinerantes) e a Biblioteca Nacional.

Catedral de Brasília
Vitrais de Marianne Peretti
Esculturas de anjos penduradas por cabos de aço

Na sequência, continuei caminhando pelo Eixo Monumental e passei pelos dezessete prédios da Esplanada dos Ministérios. Depois de uns dez minutinhos, cheguei ao Palácio do Itamaraty, onde havia agendado uma visita guiada. Esse palácio tem linhas arquitetônicas super modernas! Ali dentro funciona o Ministério das Relações Exteriores e também há muitas obras de arte expostas, além de presentes recebidos de outras embaixadas e alguns jardins projetados por Burle Marx. Fiquei apaixonada por um vão livre (considerado o maior do mundo) e por uma escada que dava acesso ao segundo pavimento. Infelizmente não era permitido fotografar a maior parte dos espaços. Gostei bastante de conhecer esse prédio, mas indico a visita guiada apenas para pessoas que gostem de arquitetura e arte. Caso contrário, pode ser um pouco chata e cansativa... Os prédios da Esplanada dos Ministérios e o Palácio do Itamaraty também foram projetados por Niemeyer.
Esplanada dos Ministérios
Palácio do Itamaraty
O maior vão livre interno do mundo e essa escada maravilhosa!
Jardim projetado por Burle Marx

O Congresso Nacional foi o lugar que eu mais estava curiosa para conhecer, afinal, passei anos e anos vendo essa construção pela televisão e em fotografias. Fiquei muuuito surpresa quando o vi pessoalmente! Ele é muito diferente do que eu imaginava... As duas cúpulas são enormes! E aquele prédio super alto não fica centralizado e nem no meio delas... Ele é meio tortinho e localizado mais ao fundo, rs. Fiz uma visita guiada (que durou aproximadamente uma hora) em algumas áreas da parte interna. Lá dentro tive mais algumas surpresas: eu não sabia que a Câmera dos Deputados, e nem o Senado Federal, ficavam dentro das cúpulas que vi do lado de fora da construção. Achei muito interessante descobrir isso! Também visitamos o Salão Nobre e o Salão Verde. Esses dois salões possuem muitas obras de arte expostas e eles dão acesso a outras salas do Congresso. No Salão Verde tem um jardim com um painel muito bonito, do artista Athos Bulcão, e que me chamou muito a atenção. Outro local super interessante que conheci foi o túnel que liga o prédio principal do Congresso aos outros prédios anexos (e que passa por baixo das avenidas do Eixo Monumental).

Congresso Nacional
Câmara dos Deputados
Painel "Ventania", de Athos Bulcão
Túnel que liga o prédio principal do Congresso aos prédios anexos

Depois da visita ao Congresso Nacional, caminhei mais um pouquinho para conhecer outras construções. Passei pelo Palácio da Justiça (que estava fechado) e pela Praça dos Três Poderes. Essa praça abriga os prédios que sediam os Três Poderes da República: o Congresso Nacional (sede do Poder Legislativo), o Palácio do Planalto (sede do Poder Executivo) e o Supremo Tribunal Federal (sede do Poder Legislativo). Ela também foi projetada por Oscar Niemeyer, assim como todas as outras construções que visitei nesse primeiro dia da viagem. Além dessas três construções, a praça também tem um centro cultural e algumas esculturas muito bonitas, como a "Os Guerreiros", do artista Bruno Giorgi.

Palácio da Justiça
Guardinhas na entrada do Palácio do Planalto
Supremo Tribunal Federal
Escultura "Os Guerreiros" (à esquerda) e Praça dos Três Poderes (à direita)

No outro dia, conheci mais alguns pontos interessantes da cidade que ficavam pertinho do hotel. O Santuário Dom Bosco foi um deles. Essa igreja tem uma história muito interessante! Dizem que o padre italiano João Bosco teve um sonho premonitório sobre a construção da nova capital do Brasil, em 1883. Como Brasília acabou sendo construída, esse padre foi canonizado e tornou-se o padroeiro da capital. O santuário é muuuito bonito por fora e M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O por dentro! Fiquei apaixonada pelas colunas, pelos arcos e, principalmente, pelos vitrais azuis (que vão do chão ao teto, e lembram um céu estrelado). É muito lindo! Não dá vontade de parar de olhar!

Santuário Dom Bosco
Interior do santuário

A Torre da TV é outro lugar super legal que visitei! Ela fica na Praça das Fontes, lá no Eixo Monumental, bem de frente para o Congresso Nacional. Gostei tanto do mirante que tem na torre que fui três vezes! Na primeira não consegui visitá-lo porque começou a garoar bem na minha vez (eles não permitem a visitação em dias de tempo ruim por causa da possibilidade de raios). Na segunda consegui subir e fiquei apaixonada pela vista! No último dia da viagem eu fui de novo porque o tempo estava ensolarado e eu queria tirar mais fotos, rs. É muito legal ver todas as construções lá do alto! O mirante fica a 75 metros de altura e a vista é em 360 graus! Essa torre é o ponto mais alto do Plano Piloto: tem 224 metros de altura. No chão, em frente à torre, fica o letreiro "Eu s2 Brasília". E nos fundos fica a tradicional Feira de Artesanato, com dezenas de barraquinhas que vendem de tudo um pouco: artesanato, lembrancinhas, roupas, lanches, bebidas...

Letreiro em frente à Torre da TV
Um pedacinho da vista do mirante
Estádio Mané Garrincha
Alguns cartões postais de Brasília vistos do alto
Feirinha de artesanato e Memorial JK (à esquerda) e Torre da TV (à direita)

Do lado da Torre da TV, fica o maior parque urbano do mundo: o Parque da Cidade. Ele tem mais de quatro milhões de metros quadrados (é maior do que o Central Park, em Nova Iorque)! O parque tem uma infraestrutura bem legal e é super bem cuidado. Há várias pistas para caminhadas, ciclovias, quadras, lagos, pista de kart, parque de diversões (com roda gigante e tudo) e muitos outros espaços.

Uma das pistas para caminhada do Parque da Cidade
Pergolado lindo!
Lago
João-de-barro construindo sua casinha
Parque de diversões (à esquerda) e pista de kart (à direita)

Depois de caminhar bastante pelo Parque da Cidade, fui andar ainda mais no Jardim Botânico, rs! Gente, que lugar é esse? Simplesmente amei esse parque! Ele é muuuito grande! São mais de quatro mil hectares repletos de plantas predominantes do cerrado brasileiro. Lá da Rodoviária do Plano Piloto sai um ônibus que passa na frente da portaria (e para minha alegria esse ônibus também passou pela Ponte JK, que é outro cartão postal da capital). Da portaria até o Jardim Botânico propriamente dito há um longo caminho a ser percorrido. Caminhei por mais de quatro quilômetros até chegar no parque. Ainda bem que valeu super a pena! O Jardim Botânico tem vários espaços lindos! Há muitos jardins temáticos (cheio de flores, lagos e muito verde), áreas para piquenique, viveiro, orquidário, playground fofo de madeira, biblioteca, anfiteatro e o delicioso Bistrô Jardim Bom Demais (almocei aí e adorei).

Entrada do Jardim Botânico
Jardim Japonês
Muitas flores lindas!
Lavandário (à esquerda) e corujinha (à direita)
Bistrô Jardim Bom Demais

Também há algumas trilhas ecológicas que podem ser feitas pelos visitantes. Eu fiz uma que terminava no Centro de Excelência do Cerrado, que é um espaço destinado a pesquisa e disseminação de informações sobre o cerrado. O que mais gostei nesse centro foi o mirante. A vista é muito bonita! Só foi uma pena o tempo não estar tão bom... mas mesmo assim gostei bastante! Também vi uma família de corujinhas muito lindas por lá!

Trilha
Centro de Excelência do Cerrado
Vista do mirante

No finalzinho da tarde dei uma passadinha no Pontão do Lago Sul. O Pontão fica às margens do Lago Paranoá e tem muitos restaurantes, bares, quiosques, playground e quatro píeres. Ele é considerado um dos maiores centros de entretenimento de Brasília e estava bem cheio. Minha ideia inicial era fazer um passeio de barco por lá, mas como o ônibus demorou muuuito pra passar acabei chegando tarde e perdi o horário para ver o pôr do sol... Foi uma pena, mas acontece.

A infraestrutura do Pontão é muito legal, mas me apaixonei pelo Lago Paranoá... Apesar de ser um lago artificial, achei ele muuuito lindo! O lago foi criado em 1959 para tentar amenizar um pouco a seca que atinge a região, principalmente entre os meses de maio a setembro. Porém, acabou tornando-se um dos maiores pontos de lazer da capital. Além dos passeios de barco, em alguns trechos do lago é permitido a prática de esportes náuticos e banho.

Entrada do Pontão do Lago Sul
Um dos píeres de acesso ao Lago Paranoá
Capivara se refrescando no lago
Mais um pedacinho do Lago Paranoá

No último dia da viagem fui conhecer mais um lugar bem legal em Brasília: o Parque Nacional, mais conhecido como Água Mineral. Para chegar nesse parque, também peguei um ônibus lá na Rodoviária do Plano Piloto e desci bem na frente da portaria. Esse parque possui duas piscinas (Areal e Pedreira) que são abastecidas com água corrente vinda de diversas nascentes espalhadas pelos mais de trinta mil hectares do parque. A piscina que estava funcionando no dia da minha visita era a Pedreira. Ela é muito bonita e refrescante. Foi uma pena o tempo não estar tão ensolarado...

Entrada do Parque Nacional
Piscina Pedreira
O parque tem muitos lugares bonitos

Além das piscinas, o parque também tem área para piquenique e churrasco, lanchonete, vestiários, sanitários, estacionamento e um Centro de Educação Ambiental. Também há algumas trilhas ecológicas, como a Trilha da Capivara, a Trilha Cristal Água e a Trilha para a Ilha da Meditação. Fiz essa última e gostei bastante! Como o parque fica dentro de uma área de preservação e conservação, há muuuitos bichinhos morando por lá. Na beira da piscina, por exemplo, sempre aparecem macaquinhos.

O parque tem muita área verde!
Ilha da Meditação
Macaquinhos na beira da piscina

Minha segunda vez em Brasília foi durante a escala de um voo para Santarém/PA (em breve o relato dessa M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A viagem estará disponível no blog). Cheguei na cidade por volta das duas da tarde e, como teria vááárias horas livres até o próximo voo, aproveitei para conhecer mais um lugar: o Palácio da Alvorada. As visitas guiadas nesse prédio só acontecem de quarta-feira e é necessário fazer o agendamento pelo site (o link tá aqui). Chegar ao palácio de ônibus (a partir do aeroporto) foi bem demorado, porque tem que pegar dois: um até a Rodoviária Nova e outro até o palácio. Como eu estava super atrasada por causa da demora do primeiro ônibus, acabei pegando um Uber lá no Eixo Monumental e, felizmente, consegui chegar no horário marcado.

O Palácio da Alvorada está localizado em uma península do Lago Paranoá e tem uma vista linda de qualquer ângulo que você o observe. Ele também foi projetado por Oscar Niemeyer e é uma das mais importantes obras arquitetônicas de Brasília. Aí é a residência oficial do presidente da república. A construção é muuuito linda e possui três pisos: o subsolo (onde ficam cinema, salão de jogos e uma área administrativa), o térreo (onde há alguns salões para eventos e cerimônias oficiais do governo) e o primeiro andar (onde é efetivamente a moradia privativa do presidente).

Palácio da Alvorada
Espelho d'água

Assim que a visita começou, uma coisa me chamou a atenção logo de cara: os curiosos moradores do jardim do palácio. Dá para acreditar que diversas emas vivem livremente por lá? A moça que guiou a visita disse que elas ajudam no controle de possíveis animais peçonhentos que possam aparecer pelo terreno. Achei isso tão engraçado! Nunca imaginei que tivessem emas por lá... Na sequência visitamos uma linda capela que fica ao lado do palácio e depois conhecemos, pelo lado de fora, algumas das salas do andar térreo do palácio (como o hall de entrada, o salão do Estado, a biblioteca, a sala de música, o salão de banquetes...). Outra coisa que me chamou a atenção foi a belíssima piscina e o jardim localizados nos fundos do prédio principal. O paisagismo é lindo e super bem cuidado. Vimos até araras por lá! Foi lindo... s2

Os jardins são muito bem cuidados
Capela
Piscina nos fundos do palácio

Gostei bastante de conhecer Brasília e todas as suas construções modernistas. No entanto, o que mais me surpreendeu por lá foram os parques e os atrativos naturais. Adorei o Lago Paranoá, o Jardim Botânico, o Parque Nacional... É tudo muito bonito e bem cuidado. Outra coisa que me deixou bastante surpresa é que é super possível transitar pela cidade a pé ou usando transporte público. Sempre ouvi dizer que Brasília não era uma cidade para pedestres e que só dava para se locomover de carro... Felizmente consegui visitar quase todos os lugares que planejei de ônibus, metrô ou a pé mesmo. A cidade realmente tem um urbanismo diferente (com ruas bem largas, quarteirões enormes...), mas consegui me virar bem. Também me chamou a atenção o fato de Brasília ter muuuita coisa pra ver e fazer. Fiquei três dias por lá e não consegui conhecer tudo o que queria. Alguns atrativos estavam fechados por causa do feriado de Carnaval e outros não deu tempo de ver mesmo. Queria muito ter ido ao Templo Budista, ao Centro Cultural Banco do Brasil, ao Memorial JK, à Ermida Dom Bosco... Sem falar no passeio de barco pelo Lago Paranoá que acabei não conseguindo fazer...


GOSTOU DE BRASÍLIA:
Conheça Pirenópolis também! Em breve o relato estará aqui no blog.

ACESSE TAMBÉM:
http://casosecoisasdabonfa.blogspot.com.br/2011/06/um-final-de-semana-em-brasilia-com-foco.html
http://www.soubrasilia.com

NOSSA AVALIAÇÃO:


Todos os textos e fotos contidos nesse blog são minha autoria e não podem ser reproduzidos sem autorização.